Pesquisa

domingo, 31 de agosto de 2014

nossos detalhes

A moeda lançada ao vento,
Prenúncio de um iminente tormento?
Ou apenas o sutil desapego do avarento?

O riso espontâneo presente,
Dos lábios sutis se recente.
A expressão pura e latente!

O infinito misterioso do céu,
Traz sensação doce como o mel,
 Numa áurea sombria, um véu.

Cada palavra pronunciada,
Pavimenta o caminho, a estrada,
Das ideias presentes e regradas.

Os retalhos ínfimos nos compõem,
Pedaços estáticos dispõem,

De realidades diversas que se contrapõem.

sábado, 2 de agosto de 2014

Olhos Tristes


Com os olhos tristes fitava o horizonte,
Todo aquele sentimento impaciente,
Aturdia a vil alma completamente,
Que silenciosa jazia atrás do monte.

Morto por dentro sem nada a oferecer,
Não restava um ínfimo pedaço feliz,
Apenas ficaram profundas marcas a cicatriz,
De um espírito combalido prestes a adoecer.

A agonia aprazia todo aquele momento,
Nem se quer havia possibilidade de sentir,
O verdadeiro pulsar da vida a emergir.

Apenas o vento, como fiel testemunha,
Permanecia constante roçando a colina,
Trazendo novas emoções a cada matina.

Pessoas

A verdade sobre alguém é incerta,
E como o vento a soprar aleatoriamente,
Não se pode asseverar o conhecimento real.

O âmago de uma pessoa em absoluto.
É um rio livre a fluir pelas planícies.
E despejar suas águas caudalosas,
Num mar de emoções e sensações,
Compositoras de um sincretismo total.

domingo, 8 de junho de 2014

O tempo

O tempo age como corrosivo,
Dilacera a jovialidade presente,
Amalgamando o futuro aparente.

Há eventos independentes,
A nossa insignificante vontade.
Que nos guiam para o vindouro.

A futura realidade se apresenta,
Como algo intangível, distante,
E num piscar de olhos, já é presente.

O presente de hoje, é o passado de amanhã,
E neste verdadeiro anacronismo vão,
Somos reféns da dimensão do tempo.

Amizade

O sentimento verdadeiro,
Uma troca incessante de amor,
Nada se espera de volta,
Além, de o simples doar,
 Da companhia prazerosa,
Em momentos ímpares,
A saudade que toca o coração,
Quando se ausenta.
Assim é a amizade,
É amor, companhia e saudade.

sábado, 3 de maio de 2014

ALDRAVIAS - DIVERSAS

Nasci...
Lutei...
Aprendi...
Vivi....
Venci...
Morri...

Versos,
Espúrios.
Fluem,
Completamente,
Sentimento,
Puro.

Gaúcho,
Continentino,
Livre.
Amor,
Pela,
Querência!

Estrada,
Pedregosa,
Jornada,
Dificultosa,
Resultado,
Vitorioso.

Emoção,
Fluindo,
Sentimento,
Latente,
Criação,
Fecunda.

quinta-feira, 1 de maio de 2014

MÃE


Ventre divino e abençoado,
Doce e seguro abrigo encantado,
Carinho, ternura e vida,
Amor e entrega incondicional,
Sentimento puro e real,
Onde os mais sinceros anseios,
Encontram abrigo e afago,
Nos teus abraços amorosos.

E nas simples cantigas de ninar,
Sentir o prazer tenro de amar,
Nestas simples linhas escritas,
Poder manifestar o expressar,
A bondade e o carinho.

Mãe! Palavra singela,
Termo simples de grafar,
Mas extremamente complexo,

Na refinada arte de amar.

Poesias

Cerro os olhos para voar,
Fico completamente imóvel,
Deixando a percepção falar,
É como se a alma saísse do corpo,
E vagasse sem um rumo, a deriva.
Na busca ansiosa por mundos intocados,
Realidades a descobrir,
E emoções a sentir.



As horas passam devagar,
Quando o coração,
Está a angustiar.
Lembro-me da doçura,
Das palavras que proferia,
Do carinho e da ternura,
Do seu beijo e simpatia.
Em cada palavra minha,
Há um desejo oculto por você.